14 dezembro 2009

A vida humana é Sagrada

No último encontro de Grupo estivemos a falar de questões muito delicadas como a pena de morte, o suicídio, o aborto, a eutanásia e a guerra.
Apercebemos-nos, rezando, que todas elas estão interligadas. Em Portugal, a recusa à pena de morte é quase consensual, no entanto, esse amor à vida e à dignidade humana que nos leva a recusar a pena de morte, não se estende tantas vezes a outros campos.
A nossa sociedade tem tantas vezes uma atitude de "quero, posso e mando" sobre as questões da vida. Conseguiremos nós compreende-las em profundidade?
Um dos grandes valores da Igreja Católica nestas questões é a solidez e consciência da posição que defende. Como na questão da pena de morte, nunca devemos julgar quem merece viver ou morrer. Só Deus tem a Sabedoria, o poder, e a visão do coração de cada ser humano para poder fazer isso.
A dignidade não é baseada naquilo que nós fazemos ou deixamos de fazer, naquilo que merecemos ou não. É baseada num único factor: todos nós fomos criados à imagem e semelhança de Deus. É a ética da vida consciente.
Há muitos problemas na nossa sociedade que levam a uma aceitação banalizada destas questões e que não podem de facto ser ignorados, mas há coisas, como a vida, que não nascem das leis da sociedade...