18 setembro 2009

De regresso!

E depois do tempo de férias estamos novamente de regresso e cheios de força para caminhar!

:: Saudação ::

Senhor,

Iniciamos um novo ano da nossa caminhada.
Somos peregrinos e estrangeiros neste mundo, em busca do verdadeiro caminho que Tu és, em comunhão contigo, com os irmãos e com todas as criaturas.
Somos peregrinos para, como Francisco de Assis, aprendermos o caminho para Ti, para percebermos que o encontro Contigo acontece todos os dias da nossa vida.
Somos peregrinos de Francisco de Assis sempre a rezar:

Senhor, que queres que eu faça?
Senhor, dá-me uma fé verdadeira,
Uma esperança firme e
Um amor perfeito!

Procuramos-Te, Senhor, em todos os caminhos da nossa vida, certos de que só tu podes encher os nossos corações de paz e alegria.
Como os discípulos de Emaús queremos encontrar-Te e caminhar Contigo!

:: Prece inicial ::

Senhor, de todos os caminhos
Senhor, da vida,
Senhor, de todas as estradas.
Abençoa e acompanha
As nossas idas e as nossas vindas.
As nossas partidas e as nossas chegadas.
Que as nossas estradas
cruzem os Vossos caminhos.
Caminha ao nosso lado
E ensina-nos a refazer
Os caminhos do acolhimento
Da escuta e da prece,
Os caminhos do diálogo,
Os caminhos do encontro.
Ensina-nos a refazer
Os caminhos do amor,
Os caminhos da paz,
Os caminhos da vida.

:: Palavra de Deus ::

Nesse mesmo dia, dois dos discípulos iam a caminho de uma aldeia chamada Emaús, que ficava a cerca de duas léguas de Jerusalém; e conversavam entre si sobre tudo o que acontecera. Enquanto conversavam e discutiam, aproximou-se deles o próprio Jesus e pôs-se com eles a caminho; os seus olhos, porém, estavam impedidos de o reconhecer. Disse-lhes Ele: «Que palavras são essas que trocais entre vós, enquanto caminhais?» Pararam entristecidos. E um deles, chamado Cléofas, respondeu: «Tu és o único forasteiro em Jerusalém a ignorar o que lá se passou nestes dias!» Perguntou-lhes Ele: «Que foi?» Responderam-lhe: «O que se refere a Jesus de Nazaré, profeta poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo; como os sumos sacerdotes e os nossos chefes o entregaram, para ser condenado à morte e crucificado. Nós esperávamos que fosse Ele o que viria redimir Israel, mas, com tudo isto, já lá vai o terceiro dia desde que se deram estas coisas. É verdade que algumas mulheres do nosso grupo nos deixaram perturbados, porque foram ao sepulcro de madrugada e, não achando o seu corpo, vieram dizer que lhes apareceram uns anjos, que afirmavam que Ele vivia. Então, alguns dos nossos foram ao sepulcro e encontraram tudo como as mulheres tinham dito. Mas, a Ele, não o viram.» Jesus disse-lhes, então: «Ó homens sem inteligência e lentos de espírito para crer em tudo quanto os profetas anunciaram! Não tinha o Messias de sofrer essas coisas para entrar na sua glória?» E, começando por Moisés e seguindo por todos os Profetas, explicou-lhes, em todas as Escrituras, tudo o que lhe dizia respeito. Ao chegarem perto da aldeia para onde iam, fez menção de seguir para diante. Os outros, porém, insistiam com Ele, dizendo: «Fica connosco, pois a noite vai caindo e o dia já está no ocaso.» Entrou para ficar com eles. E, quando se pôs à mesa, tomou o pão, pronunciou a bênção e, depois de o partir, entregou-lho. Então, os seus olhos abriram-se e reconheceram-no; mas Ele desapareceu da sua presença. Disseram, então, um ao outro: «Não nos ardia o coração, quando Ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras?» Levantando-se, voltaram imediatamente para Jerusalém e encontraram reunidos os Onze e os seus companheiros, que lhes disseram: «Realmente o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!» E eles contaram o que lhes tinha acontecido pelo caminho e como Jesus se lhes dera a conhecer, ao partir o pão.

:: Reflexão ::

- O que quero descobrir como caminhante?
- Que caminhos percorremos?
- Quais as nossas motivações?
- Que lugar e atenção dou ao Peregrino que comigo quer caminhar?
- O que nos impede de O reconhecer?
- Onde O podemos reconhecer?