02 dezembro 2006

Depois da recolha de alimentos para o Banco Alimentar ...

Depois da recolha de alimentos para o Banco Alimentar no Colombo no passado Sábado (dia 25 de Novembro) gostaria de expôr o meu testemunho em relação a esta experiência.
Até então, nunca tinha participado na recolha de alimentos do BA. Gostei muito da experiência por várias razões.
Em primeiro lugar, é bom sentir que estamos ajudar, que estamos a ser úteis na construção de um mundo melhor, ainda que tenhamos, por vezes, de fazer um esforço para o conseguir, porque para isso é necessário prescindir do nosso tempo para o darmos aos outros, situação para a qual nem sempre estamos predispostos.
Em segundo lugar, ainda pegando na primeira questão, foi muito interessante observar a forma como as pessoas vivem o tempo. No centro comercial onde estivemos, como seria de esperar, quase todas as pessoas se encontravam cheias de pressa e bastante ocupadas, a correr de um lado para o outro, a subir e a descer as escadas, a falar ao telemóvel, a buscar o carrinho, etc. Ao pormos os sacos do BA à disposição das pessoas e convidando-as a ser solidárias, muitas nem sequer olhavam (tamanha era a pressa e a abstracção em relação aos outros), outras desviavam o olhar, sentindo-se visivelmente incomodadas com a nossa presença por lá, outras expressavam-se facial ou gestualmente transmitindo que "não dava jeito, talvez noutra altura", outras mostravam-se espantadas, e outras ainda davam-nos respostas algo desagradáveis ou "esfarrapadas", tal como nos relata o Frei Bruno. Efectivamente, muitas são as pessoas que não são capazes de se darem um pouco aos outros. No entanto, tenho de fazer igualmente referência às muitas pessoas que contribuíram. A essas dirijo um profundo e sincero obrigado.
Em terceiro e último lugar, foi um bom tempo de convívio com os meus colegas e amigos de grupo. Gostei muito de com eles partilhar o tempo e esta tão rica experiência que, aliás, gostaria de repetir. Agradeço ao Frei Bruno por nos ter proporcionado esta experiência e agradeço mais uma vez às pessoas que abraçaram esta causa de ajudarem os que mais precisam.